terça-feira, 16 de abril de 2013

Hoje é a palavra MÃE a mais importante

Hoje é a palavra MÃE a mais importante.
Quase te perdi e ainda nem sei se voltarás. Não sei que faça com o vazio que me fica a corroer a alma, quando te chamo e me não respondes. Saberás algum dia o tamanho do meu amor por ti? Era capaz de ir de rastos até a exaustão para te voltar a ter comigo, para te ouvir dizer as coisas engraçadas que a tua perda de audição inventa. Preciso que me digas que tudo vai correr bem, que estás apenas de férias nesse local horrivel mas que voltarás para mim, para me ouvires como só tu o sabes fazer. Preciso tanto de ti minha mãe.... sei que não segues o meu blogue, mas alivia-me falar-te daqui, como se os deuses me ouvissem e aliviassem o peso deste pedregulho que me está a desorientar.
Tenho pavor de perder.

15 comentários:

  1. Já passei o mesmo com o meu Pai e sei bem do que escreves. Queria dizer-te algo que te pudesse confortar, mas é difícil. Resta-me enviar-te não um beijo mas um abraço, daqueles apertados que se dão aos amigos quando se quer dizer algo e não se consegue, porque já não há mais nada a dizer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por essa solidariedade, tão importante quando estamos frágeis.
      Um beijo nos vossos corações.

      Eliminar
  2. Al menos, el saber que está ahí, es un consuelo. La sensación de vacío es infinitamente mayor cuando sabes que se han ido para siempre. Ahora, aún queda la ESPERANZA del reencuentro, luego ya no es posible.

    Salu2.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por essa solidariedade, tão importante quando estamos frágeis.
      Um beijo nos vossos corações.

      Eliminar
  3. Recordar é viver!!
    Ela sabe o quanto a amas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por essa solidariedade, tão importante quando estamos frágeis.
      Um beijo nos vossos corações.

      Eliminar
  4. Faço minhas as palavras de Vera, a loira. Sábias palavras. Eu, por outro lado, já perdi há muitos anos pai e mãe, no entanto, tenho-os sempre presentes como se estivessem ao meu lado a apoiar-me.

    Não sinto que me ajudem muito, pelo menos nada do que eu peço é atendido, mas na hora de evitar o acidente, apesar de ter fechado os olhos porque ia bater no carro parado à minha frente, lá estava a mão do meu querido pai (que foi motorista de taxi anos a fio)e o carro parou a um centímetro do desastre.

    Pai e mãe são géneros únicos que nunca devemos menosprezar. Se alguém tem amor aos filhos, esse amor verdadeiro e incondicional são os pais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou muito grata por tudo: por ainda a ter, mesmo naquele hospital, pelo apoio que recebo através das palavras de gente que sendo desconhecida, acaba por ser demasiado importante nestes dias tão amargurados. A minha mãe teve sempre um coração enorme, foi sempre muito generosa e agora teve um enfarte. Dizem os médicos que... nem quero pensar quanto mais repetir.
      BEIJOS no vosso coração meus amigos

      Eliminar
  5. Vai voltar e ainda vamos desfrutar dela mais uns aninhos. :)

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamos tanto dela, não é?
      Beijos, muitos

      Eliminar
  6. Embora seja um estranho que lê o teu blogue, e embaraçado com os sentimentos e as palavras, não quero deixar de manifestar o meu desejo sincero de que tudo corra bem.
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um imenso abraço, estou muito grata pelas palavras de apoio

      Eliminar
  7. Mais uma achega ao meu comentário que subverti um pouco. De facto, falei na qualidade de pai e não na perspectiva de filho. Porque é gratificante quando ouvimos (lemos) um filho(a)a falar assim de uma mãe: com tanta ternura, tanta paixão, tanta sinceridade, como fez. A sua mãe é uma mulher de sorte por ter, de facto, uma filha assim. Mesmo longe desse olhar cibernauta que não partilha, mas cuja energia se propaga e se entranha no coração, vai manifestando nas palavras sentidas o carácter de amor e gratidão que tem por ela.
    Parabéns mãe da Maria do Sol pela filha que tem. E aqui estou, mesmo à distância, a fazer força para que esse inevitável, feliz e desejado reencontro, se concretize tão breve quanto a vida permita.
    Carlos Alberto

    ResponderEliminar
  8. Me adhiero a tus sentimientos.

    un abrazo

    fus

    ResponderEliminar