domingo, 5 de maio de 2013

Ontem, hoje, sempre...dia da Mãe




Lá fora o canto da passarada
as flores rebeldes e coloridas
é verde o campo e as colinas
o cheiro a paz e a enseada...

Mas o que importa minha mãe
és tu, doce deusa tão amada
Hoje o dia é teu e embora meu
não sou capaz de dizer nada...

Ergo os meus braços para o céu
e fico grata...muito grata



10 comentários:

  1. Respostas
    1. Fico muito grata pela tua amabilidade.
      Abraços

      Eliminar
  2. Usurpando este espaço da minha amiga, subscrevo seu poema à Mãe, dizendo:

    Maravilhoso poema à Mãe.
    A alguém que se perpetuará
    infinitamente na nossa vida.
    Felicidade para quem ainda a tem;
    ou a nostalgia da alma sentida.

    E a todas as Mães ausentes, acrescento:

    Do teu rosto tranquilo restas-me
    nos meus sonhos com a tua energia
    e com ela sobrevivo e emprestas-me
    a esperança da tua força e alegria.

    Carlos Alberto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por enriquecer este espaço.
      Abraços

      Eliminar
  3. Obrigado eu. Porque eu é que fico enriquecido por ter o privilégio de partilhar aqui um cantinho neste "brilhante" espaço.
    CA

    ResponderEliminar
  4. Uma lindíssima homenagem, de mãe para mãe («...Hoje o dia é teu e embora meu...»).
    Gostei, mesmo!
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por visitar o meu humilde espaço.
      Abraço

      Eliminar
  5. Olá, parabéns pelo blog!
    Dia das mães é todo dia realmente. Gostei, bela homenagem!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderEliminar
  6. María, yo creo que dices bastante.
    Salu2.

    ResponderEliminar